16 de Agosto de 2017
Imprimir    E-mail

Patos não oferece serviços a municípios e Comissão Intergestores pode acionar MPF

 

Patos-PB - Aconteceu ontem mais uma reunião extraordinária da Comissão Intergestores Regional do Sertão (CIRs), no auditório da 6ª Gerência Regional de Saúde. Novamente o centro dos debates foi a reclamação dos municípios pactuados com Patos que não estão sendo assistidos com exames de raio X, ultrassonagrafia e tomografia. Já são oito meses, desde a posse da nova gestão que o preoblema persiste sem que haja uma solução. Os recursos federais estão chegando, mas a população continua sem acesso a esses serviços.

“São recursos federais destinados a esses serviços, que deveriam está sendo realizados em Patos, mas nem os habitantes locais, bem como da região estão conseguindo tais exames”, comentou José Leudo de Farias, gerente regonal de saúde, acrescentando que, por se tratar de dinheiro federal, a CIRs, com apoio da gestora de Patos, devereá acionar o MPF para ajudar na resolução desse processo.

A Secretária municipal de saúde de Patos, Andressa Lopes, lamentou o fato, lembrando que nem mesmo os habitantes de Patos estão conseguindo os referidos exames. Destacou várias causas, como débito junto às clínicas especializadas da cidade, herdada da gestão anterior, tabela baixa do SUS, o que impossibilita marcação de consultas. Ela disse que o valor de consulta paga pelo SUS é de R$ 10,00, algo irrisório e que ninguém que atender por este valor.

“Os valores transferidos pelo Governo Federal ainda são escassos. É impossível conseguir uma consulta com médico a esse valor. Por isso muitas vezes não conseguimos atender a demanda pactuada porque a gente não paga só isso, é sempre a mais. Vamos fazer uma programação de de marcação de consultas com os municípios para que a gente possa atender da maneira mais correta possível”, disse Andresa Lopes.

Outro obstáculo que impede a realização dos exames diz respeito ao processo de licitação, que não despertou muito interesse das empresas devido os baixos valores oferecidos pelo SUS. “O processo de licitação está acontecendo e esperamos que seja concluído o quanto antes”, enfatizou Andressa.

 

Marcos Eugênio



« Voltar